Educação: Angélica defende mais verbas federais para municípios

18/07/2011 21:25

 A presidente da Assembleia Legislativa, deputada estadual Angélica Guimarães, disse hoje, 11.7, na abertura da audiência pública que debate o Plano Nacional de Educação (PNDE), que o parlamento sergipano é um instrumento legítimo de ressonância da sociedade para debater temas como o ensino público. “Não é teoria admitir que a educação é um dos pilares para se alcançar a emancipação das pessoas e das nações e esperamos que o projeto sirva para melhorar a qualidade do ensino no Brasil”.

 

 

De acordo com Angélica Guimarães, é urgente a necessidade de se discutir estratégias e novos caminhos, mais eficazes, para uma melhor valorização da escola. “Vários autores, estudiosos e até educadores falam da necessidade de novas práticas pedagógicas, de um novo professor, que esteja mais afinado com as mudanças sociais e tecnológicas”, lembrou, destacando o papel do magistério e as dificuldades dos municípios.

 

 

“As dificuldades e deficiências já conhecidas na qualidade da educação brasileira não podem e não devem ser creditadas como uma tutela exclusiva dos nossos mestres. Seria injusto pensar assim. Apenas vinte por cento dos nossos municípios têm arrecadação própria. Existe uma dificuldade muito grande dos prefeitos de conciliarem a obrigação de matricular a grande demanda”, observa a deputada. Segundo Angélica, muitas vezes os municípios oferecem escolas sem condições devidas, apesar de reconhecer que o Fundeb tem sido importante. “Não o suficiente para garantir melhores condições nas escolas”.

 

 

A deputada lembrou que a lei é para ser cumprida, mas segundo ela, tem sido difícil para os prefeitos e para os administradores estaduais encontrar recursos para cumprir a lei do piso nacional (do magistério). “É preciso que o governo federal e o Congresso corrijam as distorções existentes para então conquistarmos melhores resultados no ensino”.

 

 

“Minha satisfação é grande em receber personalidades para pensarmos a educação. Minha satisfação se completa por reconhecer a preocupação deste jovem parlamentar sergipano, o deputado federal André Moura, pela iniciativa de propor a realização desta audiência pública em nosso Estado”, comentou Angélica, ao sugerir ao relator Ângelo Vanhoni que inclua no projeto a necessidade de aumentar de forma substancial os recursos que são destinados para a Educação. “Que haja um olhar mais coerente e lógico na distribuição de fundos para a educação pública, sobretudo para Estados e municípios”.

 

 

“Entendo ser importante a retomada das escolas técnicas profissionalizantes de ensino médio, que tenham qualidade e possa garantir qualificação profissional com formação humanística de qualidade, criando condições de acesso ao mercado de trabalho ao mesmo tempo que prepara o acesso para a universidade. E não conseguiremos patamares valiosos na educação sem a valorização do magistério”, concluiu Angélica, ao discursar na abertura do seminário que reuniu autoridades e representantes da sociedade no debate em torno do Plano Nacional de Educação – PNE (Projeto de Lei nº 8035, de 2010, que aprova o Plano Nacional de Educação – decênio 2011/2020”.

 

https://www.agenciaalese.se.gov.br

 

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!